Entreposto - Ceagesp, Ceasa - Beterraba

Beterraba

Legumes

Segundo a Embrapa, a beterraba é uma raiz tuberosa, originária da Europa, pertencente à família Quenopodiácea, assim como a acelga e o espinafre verdadeiro. Existem três tipos de beterraba: a beterraba açucareira, usada para produção de açúcar, a beterraba forrageira, usada para alimentação animal e aquela cujas raízes são consumidas como hortaliça, sendo a mais conhecida no Brasil.

A hortaliça, ela é mais adaptada ao clima ameno com temperatura média de 15 °C a 18°C. Por isso, os principais Estados produtores ficam na região Sul e Sudeste do país, como Paraná que concentra a maior produção (20,0%), São Paulo (17,0%), Minas Gerais (15,5%), Rio Grande do Sul (15,0%). De acordo com o IAC – Instituto Agronômico de Campinas, quando cultivada sob temperatura e pluviosidade elevadas pode ocorrer má coloração interna, com formação de anéis de coloração mais clara, além de reduzir a concentração de pigmentos nas raízes, sobretudo de betacianina (coloração vermelha).

Temperaturas elevadas associadas à alta umidade relativa do ar também favorecem a ocorrência da doença mancha-das-folhas, que pode causar redução drástica da área foliar e, consequentemente, da produção. O tempo para iniciar a colheita varia de acordo com a opção do plantio. No sistema de semeadura direta, a beterraba pode ser colhida de 60 a 70 dias após o cultivo.

Na culinária, ela é muito utilizada em forma de salada e também como suco. A beterraba é muito benéfica à saúde. Ela possui diversos nutrientes que colaboram com o organismo. Por exemplo, ela diminui a pressão alta: contém nitratos que ajudam relaxar os vasos sanguíneos; fortalece o sistema imune: é rica em zinco que ativa um hormônio que aumenta a produção de células de defesa do organismo. Além de prevenir e combater anemia: por conter ferro e vitaminas do complexo B.

Na hora do consumo, quando em condição natural, a beterraba se conserva por até uma semana, se mantida em local fresco e sombreado. Em geladeira, pode ser mantida por até 15 dias, embalada em saco de plástico perfurado. Quando guardadas já descascadas, raladas ou picadas, sua durabilidade será reduzida a três ou quatro dias devendo obrigatoriamente serem conservadas em geladeira, dentro de saco ou vasilha de plástico.

A partir do mês de junho a produção de beterraba começa a ficar fraca, de acordo com a tabela de sazonalidade da CEAGESP. Sendo que de janeiro a março foi o ápice e abril e maio começou a ficar fraco.  Ela volta a ter uma produção boa, no mês de outubro.

A leguminosa é uma das 50 mais comercializadas, no cenário geral, do Entreposto paulista. De acordo com o Balanço realizado pela Companhia, a Beterraba ocupa a trigésima primeira posição, com uma movimentação de aproximadamente 28 mil toneladas de janeiro a dezembro de 2016. Só este ano, por exemplo, no primeiro trimestre, foram 7.375 toneladas vendidas.

 

variedades da beterraba

Sazonalidades


Beterraba JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ

Fornecedores Ceagesp

Este site utiliza cookies para ajudar a disponibilizar os respectivos serviços, para personalizar anúncios e analisar o tráfego.
As informações sobre a sua utilização deste site são partilhadas com a Google. Ao utilizar este site, concorda que o mesmo utilize cookies. Ler Política de Privacidade

Eu entendi.