Entreposto - Ceagesp, Ceasa - Jiló
Advertisement

Jiló

Legumes

O jiló é um fruto originário da Ásia ou da África, já que há uma discussão entre os pesquisadores. A questão é que ele introduzido no Brasil, no início do século XVII, com os escravos que vieram cultivar a cana-de-açúcar em Pernambuco. Pertencente à família Solanácea, a mesma família do tomate, da berinjela e do pimentão.

O principal polo de produção de jiló, no país, é a Região Sudeste, liderado pelo Rio de Janeiro, onde a produtividade média varia de 20 a 60 toneladas por hectare. 

Já na colheita, os frutos devem ser colhidos quando ainda imaturos, pois quando amadurecem tornam-se impróprios para o consumo devido ao sabor e textura desagradáveis. Durante o amadurecimento, a casca torna-se amarela ou laranja-avermelhada e as sementes endurecem. Não é preciso apertar os frutos para selecionar os melhores. 

O manuseio descuidado resulta em menor durabilidade, pois os frutos amadurecem e murcham mais rapidamente e quando machucados são mais susceptíveis à podridão.

O legume é rico em diversos nutrientes, fonte de vitaminas (A, C e do complexo B) e sais minerais, como magnésio, cálcio e ferro e possui poucas calorias. “Os benefícios desses alimentos só serão sentidos quando ingeridos com frequência. Não vale comer apenas esporadicamente. Uma ou duas vezes por semana é o ideal”, indica a nutricionista Daniela Jobst.

Os frutos podem ser compridos e de coloração verde-claro ou quase redondos e de cor verde-escuro. Os frutos redondos são mais amargos que os compridos. Há também variedades de forma oblonga, com casca verde-escuro, mas estes raramente são encontrados no mercado. Todos os tipos apresentam a polpa macia, porosa e com pequenas sementes tenras e brancas.

O sabor amargo é característico do jiló e está presente em todos as variedades. É ao mesmo tempo a característica que atrai seus admiradores e afasta seus detratores.

Na CEAGESP, segundo a tabela de sazonalidade, a partir do mês de dezembro, a produção começa a ficar melhor. Tendo no mês de janeiro o período ideal para a realização da compra. Ou seja, o preço vai estar em conta já que o fruto vai possuir grandes quantidades no mercado. 

De acordo com o balanço realizado pela Companhia, em 2016, o jiló teve a comercialização de 9,7 mil toneladas no ETSP. O que o coloca como um dos principais do setor de legumes. O fruto fica entre os 20 mais comercializado no ramo.

 

Este site utiliza cookies para ajudar a disponibilizar os respectivos serviços, para personalizar anúncios e analisar o tráfego.
As informações sobre a sua utilização deste site são partilhadas com a Google. Ao utilizar este site, concorda que o mesmo utilize cookies. Ler Política de Privacidade

Eu entendi.